Desde o início do século XX, o percurso histórico-existencial de mulheres negras, inclui iniciativas empreendedoras que surgiram para atender às necessidades de sobrevivência de uma população feminina marcada pela origem escrava. Entre as grandes ialorixás baianas, por exemplo, existiram grandes comerciantes, que mostravam o quanto, entre as religiosas negras, já havia empreendedoras de sucesso. Este êxito empreendedor afrobrasileiro pode ser visto no documentário “Cidade das Mulheres”, filme homônimo ao livro da antropóloga Ruth Landes, lançado pela acadêmica norte-americana, em 1947. Neste século XXI, podemos consubstanciar nosso projeto Empreendedor, Faça a Coisa Certa! Apoiado num acervo de pesquisas e cases de sucesso envolvendo o empreendedorismo no Brasil, e que apontam para as mulheres em geral como importantes protagonistas.
Estamos construindo uma comunidade orgulhosa e dona do seu próprio nariz. Por favor venha construir isso com a gente.

Nossa camisa personalizada é o instrumento principal para o desenvolvimento socioeconômico desse projeto.

Vendedoras treinadas serão encarregadas da distribuição desse produto com uma remuneração sempre acima do mercado.
Estamos convencidos que, embora essa atividade possa ser tratada como paralela (bico), nada impede que venha a se tornar atividade principal com vantagens tipo, autonomia empreendedora de crescimento individual ou coletivo e, criação de uma rede de caráter nacional.
Faz parte desse projeto o incentivo de fortalecimento estrutural, financiado pelo percentual incluído nas vendas. Isso aponta para a autonomia desse projeto como um todo.

POSSIBILIDADES